Por que contratar um designer?

O que um Designer faz?
Por que as pessoas
não entram na minha loja?
E se eu quiser os serviços de um Designer
somente para obter
novas idéias e soluções?
Por que contratar um Designer
se eu sei que o eu quero
fazer no meu ambiente?
P o r
q u e ?
Estoque,
mercadorias expostas,
apenas um lugar para eu me sentar!
Minha vitrine escurece a loja!
Eu não preciso de um Designer,
eu conheço um bom pedreiro!
O marceneiro é bom,
mas não ficou como eu queria!

Estas e muitas outras, são questões que rondam as cabeças daqueles que nunca contrataram um profissional de design de interiores ou de decoração,
por não conhecerem ainda como funciona este serviço!

Todos nós temos uma pessoal sintonia com as formas, cores, luz e estilos. Quando, desde pequenos, começamos a dar um toque pessoal em nosso quarto, nosso estilo vai se amadurecendo. Observamos às vezes que, uma cor que adorávamos deixou de ser a preferida, ou notamos que simplesmente nos enjoamos dela!

Percebemos que, ao aplicar nossas idéias de decoração naquele quartinho com móveis no estilo rústico, pretendendo com isso fazer dele um aconchegante escritório, o resultado nos surpreende com um ambiente de efeito pesado, escuro, sem lugares certos para as coisas certas, fios aparentes ou em demasia, enfim, uma idéia que outrora era considerada interessante se tornou um pesadelo por não cumprir o objetivo principal.

Não que esta idéia seja inadequada, em absoluto!
A falha foi quase indetectável, por ser apenas uma questão de planejamento, antecipação das necessidades e das soluções!
E é esta toda a diferença entre um trabalho leigo de um trabalho profissional.

Normalmente o que o cliente deseja, vem de encontro às necessidades reais, que ele percebe pelo incômodo em seu dia a dia e deseja ter soluções eficientes, completas e bonitas e principalmente, que traduza o seu estilo pessoal!

O que faz um Designer ou projetista de interiores

Designer ou projetista de interiores é o profissional que resgata o estilo do cliente, o objetivo e a função programada para o ambiente. Analisando requisitos como processo humano, circulação, infra-estrutura elétrica, iluminação, ventilação, orçamento adequado, além de estar alinhado com as novidades do setor da construção e tendências da decoração, associado ao desejo e as preferências pessoais do cliente.

Ele está preparado para projetar soluções que cumpram o objetivo do cliente, desde o Estudo Preliminar até a execução, com finalização aplicada por completo, inclusive na decoração, definindo a logística e o operacional de cada uma das fases. Não ignorando que a expectativa do cliente é um requisito primordial, afinal, é ele quem vai conviver no espaço em questão e vai pagar por este resultado!

Finalmente, a função do designer é atingir o objetivo final sob todos os aspectos de forma controlada, eficiente e transparente. O projetista planeja, elabora e simula os resultados, demonstra, minimiza erros e define claramente cada etapa. Monta um cronograma para a execução com as fases e dependências organizadas de forma harmônica e previsível.

Com metodologia, técnica e trabalho, os projetos tornam-se mais precisos, bem dimensionados e previsíveis.
O processo minimiza as alterações e por conseqüência barateia o custo.
A orientação nas escolhas das cores, nos revestimentos e materiais alinhados com as novidades do mercado,
a sugestão de estilo, formas que obedecem a critérios de funcionalidade e a praticidade os aspectos inerentes,
será exposto de forma clara e estará sujeita à autorização formal do cliente.

O projetista também está preparado para atender ao cliente nas necessidades especificas, como na concepção de mobiliários sob medida, luminárias personalizadas; acabamentos especiais, itens de decoração dentre muitas outras possibilidades.

Sob o enfoque gerencial, o projetista pode orientar equipes de profissionais para que, dentro do planejamento de uma obra, as fases e suas dependências sejam regidas com sincronia, eficiência e qualidade.

Convites para um designer…

Seu bebê está chegando e aquele quarto multiuso terá um fim! O escritório, o quarto de hóspedes, canto da costura e onde se escuta uma boa musica, tudo isso terá que ser transferido para algum lugar no resto da casa! Um bom desafio para um designer, principalmente se for um apartamento pequeno!

Vovô vem morar com a gente! Que alegria! Mas soluções como as citadas acima, terão que ser solucionadas novamente, associado ao quesito segurança! Segurança no banheiro, na escada, lugares para entretenimento, iluminação, isolamento acústico, etc. De forma harmônica e bonita… nada de jeitinhos!

Design de Interiores Universal Meu Deus, mas o que é isso? Bem, se sua pousada está perdendo clientes, aqueles da 3º idade ou deficientes físicos, precisamos deixar seu negócio mais versátil! É aí que entra o projeto que atende a todos! Cadeirantes, pessoas com problemas auditivos, visuais, nanismo etc. O foco é na acessibilidade, segurança e sutileza, nada de remendos e adaptações. Bonito e acessível!

Comércio Este é um grande consumidor dos serviços de um designer e seu investimento tem retorno rápido!
Em qualquer ramo, o comércio é um ambiente dinâmico, necessitam vitalidade, carisma e manter a harmonia com o negócio! A vitrine deverá ser transformada em um permanente convite para o cliente.
No equilíbrio está a virtude da iluminação adequada e a solução será diferente em cada ramo de negócio.
Um sistema de refrigeração adequado dentro de um estabelecimento é um convite à entrada e à permanência de um cliente.
As cores fazem parte de todo o ambiente, se bem utilizado, pode torná-lo ainda mais agradável e facilitador dos contatos e das vendas.
Ao entrar no ponto de venda, o cliente tem que perceber naturalmente o processo do estabelecimento. Onde é o atendimento, onde estão os artigos, de se paga etc.
Uma “remodelada” pode estimular a atração de novos clientes e levar os consumidores habituais a interessarem-se pelas novidades.
Toda a questão do espaço de venda como circulação, aeração, estoques à vista dentre outros detalhes, são também fatores que não podem ser descuidados.
Uma revisão na comunicação visual do estabelecimento, revitalização da logomarca, papelaria, uniformes, campanha de estação devem ser avaliados com carinho!

Atrasos na obra…

Você conhece alguma obra que não sofreu atrasos?
Pois é, parece ser comum a guerra entre o executante e o cronograma!
Parte deste atraso é perfeitamente justificável desde que entendamos os fatores involuntários, inerentes a trabalho de construção de qualidade.
Uma das razões mais comuns vem em questão do clima. Quando se faz um contrapiso, ou um reboco, assentamento de cerâmicas, o tempo de secagem é dependente da umidade relativa do ar, o que vai precisar de mais ou menos tempo para se atingir a secagem ideal e aceitar bem a fase seguinte com qualidade, como por exemplo, a aderência na aplicação do revestimento. A chuva também costuma atrasar as entregas, condenando a logística e o cronograma.

Mas atrasos involuntários podem, na medida do possível, serem administráveis quando se têm controle das tarefas a serem executadas.
Dependências entre os profissionais devem ser regido como uma orquestra. Dai vem a grande aplicabilidade de um bom cronograma, por que há tarefas que podem ser rearranjadas quando imprevistos ocorrem, trazendo de volta a previsibilidade de cumprimento do planejamento.
Um bom cronograma efetuado em parceria com bons profissionais responsáveis faz toda a diferença na execução de uma obra.

Apesar do vínculo do empreiteiro ser com o cliente, é comum que um designer de interiores trabalhe com equipe de profissionais já conhecidos por já terem criado uma sintonia na comunicação e conceitos como qualidade e soluções. Garantindo assim o cumprimento do planejamento do projeto com mais acerto e consequente, qualidade.

Maria DI Moura

Be Sociable, Share!

Comments are closed.

line
Desenvolvido e hospedado pela AmazingWorks